OLÁ, ASSINE O JC E TENHA ACESSO LIVRE A TODAS AS NOTÍCIAS DO JORNAL.

JÁ SOU ASSINANTE

Entre com seus dados
e boa leitura!

Digite seu E-MAIL, CPF ou CNPJ e você receberá o passo a passo para refazer sua senha através do e-mail cadastrado:


QUERO ASSINAR!

Cadastre-se e veja todas as
vantagens de assinar o JC!


Comércio Exterior

- Publicada em 21 de Setembro de 2015

Rio Grande do Sul quer sediar próximo Encontro Econômico Brasil-Alemanha

O próximo encontro realizado no Brasil será em 2017


ANTONIO PAZ JC

O vice-governador, José Paulo Cairoli, entregou a carta de intenções que inclui o Rio Grande do Sul na disputa para sediar o próximo Encontro Econômico Brasil-Alemanha, realizado no país em 2017, ao presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga de Andrade, nesta segunda-feira (21).

Na condição de um dos organizadores do encontro, que ocorre anualmente, sendo um ano na Alemanha e outro no Brasil, o presidente da CNI disse que existem outros pretendentes, citando entre eles o estado da Bahia, mas deverá incluir os gaúchos na disputa.

Andrade se mostrou otimista em relação as chances do Estado. "O Rio grande do Sul tem todas as condições de sediar este evento. Se não for em 2017, com certeza poderá ser em 2019", afirmou.

O vice-governador destacou a tradição alemã como ponto forte. “O RS se caracteriza pela forte colonização alemã e por receber centenas de empresas e investimentos da Alemanha”, observou Cairoli.

O evento, realizado desde 1982, tem como propósito aproximar empresários, representantes de entidades e de governos do Brasil e da Alemanha. O próximo encontro será em Thürigen, em 2016.

Em 2014, a exportação brasileira para a Alemanha chegou a US$ 6.632.731.467 e teve como principais artigos os produtos do setor primário, como grãos e minérios. A importação da Alemanha para o Brasil atingiu US$ 13.837.218.760, com foco em veículos automotores, componentes químicos e farmacêuticos, além de produtos industrializados do setor elétrico e metal-mecânico.